terça-feira, 30 de outubro de 2012

Perfeccionista? Cuidado para não piorar as coisas ao tentar aperfeiçoá-las

    Desenho: http://www.rennove.com.br

Uma das máximas da Medicina, o primum non nocere, isto é, em primeiro lugar não provocar danos, deverá estar presente também no dia a dia dos profissionais de eventos. É lamentável quando, em nome da perfeição, não conseguimos concluir algo no tempo previsto, ou estragamos então aquilo que já esta ou poderia estar bem feito.

O perfeito é inimigo do bom? Nem sempre. Mas é importante termos esse ditado presente durante a produção de um evento. Devemos lembrar que ao tentar materializar o nosso "perfeccionismo", podemos estar esgotando um tempo precioso e atrasando com isso outras fases da produção, podendo chegar inclusive a comprometer a realização do evento.

Existem inúmeros exemplos de projetos "maravilhosos" que sequer saíram do papel horas antes do início do evento, ou outros que foram modificados tantas e tantas vezes durante a produção que terminaram por se distanciar de forma desproporcional da vontade ou da necessidade do cliente.

A procura pela perfeição, claro, é sempre válida, mas ela não deverá justificar o atraso de nenhuma das fases da produção de um evento, e ainda menos prejudicar o que já foi feito dentro do que havia sido planejado. Por isso, antes de melhorar ou corrigir algum detalhe que, em sua opinião, possa ser aperfeiçoado, tenha a certeza de que vai conseguir fazer com que fique melhor, ou deixe-o então do jeito que está.

Nenhum comentário:

Postar um comentário